"Nasci em nove de novembro de 2005, no meio da manhã de uma quarta-feira. Quem escreve aqui por mim é a minha mãe, por enquanto, que achou legal eu contar o que eu estou sentindo, vendo, descobrindo, inclusive desde um pouco antes de eu estrear neste mundão"

25 de mai de 2010

Engraçado aquela frase..ser mãe é padecer no paraíso!

Desde pequena, achava muito estranha aquela frase: “Ser mãe é padecer no paraíso”!. E essa palavra “padecer” sempre me intrigou e sempre achei muito feia. Sempre sonhei e imaginei como seria minha vida como mãe. Um dia, o momento chegou. Quando descobri que estava gravida t”, tudo mudou completamente na minha vida. Foi um divisor de águas. Minha vida antes e depois de ser mãe. Toda a luta, todo o esforço, toda a vontade de viver bem e fazer desse mundo um lugar melhor. O sentido da vida se tornou claro pra mim naquele momento. E agora, estou aqui padecendo no paraíso, com meu “anjinho


Somente quando nos tornamos mães, aprendemos a amar incondicionalmente. Quando me tornei mãe, enxerguei minha mãe com outros olhos e percebi quantas mães existiam dentro dela. Percebi que ela tem um currículo de causar inveja a muita mulher com MBA, apesar de ter concluído o segundo grau com supletivo. Minha mãe sempre foi uma ótima psicóloga, descobria com o olhar se algo ia errado em nossas vidas. Era também excelente enfermeira, especializada em curar joelhos ralados. Advogada de primeira, sempre pronta a defender suas crias. Educadora sempre. Diplomata com grande sabedoria, sempre resolvia pacificamente meus conflitos com minha irmã. Médica honrada sabia qual o melhor remédio para nossas dores, mesmo sendo apenas dores da alma. Ela também era uma fantástica decoradora, sempre tinha um lugar especial para pendurar os quadrinhos que pintávamos na escola, as esculturas de argila, meio sem forma, que trazíamos orgulhosos da aula de educação artística. Sem falar nas toneladas de desenhos, arquivados. Mais recentemente descobri que é uma ótima Publicitária, adora fazer propaganda das filhas. Sem contar nas suas outras acumuladas funções: cozinheira, lavadeira, passadeira, etc.

Hoje me pego nas mesmas funções, exercendo os mesmos papéis. Deixando meu instinto de mãe falar mais alto. Hoje descobri que só aprendemos a ser filhos quando nos tornamos pais. Hoje meu currículo também começa a se tornar invejável. Mãe: período integral. Independente do que faço, meu trabalho, meu estudo, meu lazer, nada substitui o prazer, o privilégio e a maior função que podemos acumular: Ser mãe!

Ser mãe é ter que ver histórinhas em vez das novelas em um,e ter que levantar em um domingo bem cedo pra levar o filho pra um jogo de futebol ,ter que cumprir com o que prometeu, SER MÃE e um privilégio de Deus, é amar sem precisar dizer, é amar sem querer nada em troca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário